Notícia



Notícia

Intervenção da Presidente da Associação Académica

Magnífico Reitor, Exmos. Membros do Conselho Geral, Exmos. Membros do Senado, Senhor Provedor do Estudante, Senhora Administradora da Faculdade, Ilustres Convidados, Senhoras e Senhores Professores, Senhoras e Senhores Funcionários Não-Docentes, Caras e caros Colegas,
 
É com particular satisfação que, em nome dos estudantes da Universidade Aberta, me dirijo a uma audiência tão distinta num dia tão importante para a nossa academia como o dia da investidura do seu Reitor.
Agradeço, por isso, ao Sr. Presidente do Conselho Geral o convite que me endereçou para intervir nesta cerimónia, mantendo a tradição desta casa e reconhecendo o papel central e imprescindível que os estudantes têm na construção de qualquer instituição de Ensino Superior.

Alguém disse um dia que a melhor forma de prever o futuro é inventá- lo. Esta frase tem particular relevância no dia de hoje. Porque as Universidades sempre foram um espaço onde se criaram rumos que encurtam distâncias e alargam horizontes, onde se escrevem reticências onde antes estavam os pontos que julgávamos finais.
Porque o Reitor que hoje é reconduzido apresentou-se a este ato eleitoral com um plano de arrojado e visionário. Uma Universidade digital, de difusão do conhecimento em rede, em qualquer lugar do mundo, ambicioso, destemido e ousado nos dias que correm em que as expectativas de esperança num futuro melhor parecem ter sido substituídas pela acomodação perante um destino cada vez mais negro de perdas, privações e retrocessos. Um futuro em que a mensagem transmitida à sociedade sobre o papel da Universidade se resume a operações de subtração e não de garante de progresso económico e social.

Felizmente, a Universidade Aberta, sob a liderança do Prof. Paulo Dias, teve a capacidade de seguir um caminho diferente ao longo dos últimos quatro anos, de grandes vitórias, como o Consórcio com a Universidade de Coimbra, levando a língua Portuguesa aos quatro cantos do mundo e alavancando sonhos de crescimentos académico e realização de licenciaturas, mestrados e doutoramentos no vasto mundo da lusofonia. A Universidade Aberta consolidou-se no plano nacional e internacional e afirmou-se – junto do tecido social e empresarial, junto das cidades que a acolhem as nossas delegações e centros locais de aprendizagem tanto em Portugal como nos PALOP, nas mais diversas parcerias, fruto do empenho do nosso reitor que sempre entendeu o conhecimento como a chave do desenvolvimento e também da sua afirmação nacional e internacional.
Um percurso que sempre contou com a participação e a cumplicidade dos estudantes naquilo que acreditamos ser o melhor para a instituição que aprendemos a sentir e a defender. Sempre acreditamos numa colaboração honesta, exigente, consciente e disponível para transformar e construir em conjunto, sem preconceitos nem estereótipos à partida. Porque acreditamos que nos cabe a defesa dos legítimos interesses dos estudantes e porque também acreditamos que os legítimos interesses dos estudantes são os legítimos interesses da academia.
E por isso, a lealdade e a independência sempre foram basilares na relação que se tem estabelecido entre os estudantes e as sucessivas reitorias. E, por isso, nos revemos no percurso trilhado ao longo dos últimos quatro anos. E por isso nos revemos na recondução do Prof. Paulo Dias à frente dos destinos da Universidade Aberta e a quem sempre reconhecemos como alguém disponível para dialogar, para cooperar, para ouvir os nossos desejos e aspirações, para encontrar consensos e soluções para os problemas dos estudantes.
Sim, devemos ter a ambição de crescer. Não para qualquer direção nem a qualquer preço, mas teremos que andar para a frente, porque parar é morrer um pouco. Mesmo que o caminho seja difícil e sinuoso, não temos o direito de desistir. Devemos honrar os sucessos do passado, mas tal como Thomas Jefferson escreveu um dia, devemos sempre preferir os sonhos do futuro à história do passado. Os desafios com que estamos confrontados são grandes e exigem respostas firmes e corajosas. É importante que os conheçamos e que estejamos preparados para os enfrentar de frente. Porque como escreveu Vergílio Ferreira, saber o que nos falta é já faltar-nos menos.

Num ponto de viragem política do nosso país e do mundo, urge finalmente prosseguir numa formação académica que, tal como o Reitor da Universidade de Varsóvia realçou, entenda que o Mundo está a ir numa direção diferente em que as qualificações superiores devem garantir que os diplomados possam ser tanto empregados como empregadores.
Na conjuntura económica difícil que o país atravessa, devemos em conjunto, deveremos encontrar mecanismos de monitorização do fenómeno e de deteção precoce de dificuldades económicos dos alunos, de modo a prevenir o abandono dos seus estudos, num trabalho articulado entre Conselho Geral, Reitoria, Associação Académica, Provedor do Estudante, Conselho Pedagógico de mais órgãos que se acharem por bem.
Esta Associação lutará lado a lado da Reitoria para estreitar barreiras que se levantam num ensino não presencial, que são normais como a distância, o isolamento que por vezes conduzem ao desânimo e desistência.

Acredito sermos uma Associação Académica que tem primado pela diferença, empenhada e dinâmica. Acreditamos que a força vem da união dos estudantes, sendo o nosso lema Juntos Somos Mais Fortes, porque acreditamos que numa universidade coesa onde a desistência será cada vez menor e os sucessos académicos exponenciais. Onde a divulgação da informação é eficaz e os alunos são ouvidos e considerados, como temos experimentado nesta reitoria, onde os canais estão abertos aos alunos, em franca sintonia.
 
Estudantes e Reitoria continuarão, certamente, a colaborar com afinco e dedicação nas restantes áreas de atuação, reforçando e aprofundando laços.
Estamos certos que a reitoria continuará a apoiar e a rever-se na forma como os estudantes divulgam e projetam a identidade cultural da nossa academia. Estamos certos que a nível pedagógico encontraremos sempre as soluções mais justas para promover o sucesso académico de todos os estudantes da Universidade Aberta
Termino desejando as maiores felicidades ao Sr. Reitor no cumprimento do mandato que hoje inicia, reforçando o compromisso da Associação Académica em contribuir para uma Universidade dinâmica, partilhada por estudantes, docentes e funcionários que desenvolvem o melhor das suas capacidades para que a instituição cumpra plenamente a sua missão.

Reitero que a Universidade Aberta é peculiar e enorme, afirmando-se como uma imensa rede digital que leva o conhecimento ao mundo, sendo pequena em infraestruturas, mas gigante em sonhos, em realização de sonhos.
É meu privilégio, privilégio dos alunos fazer parte deste novo mundo digital, na ponta de lança da tecnologia, num ensino rigoroso e credível, onde somos chamados a aprender com excelência as mais diversas competências académicas, sociais e humanas.

E porque um dia alguém sonhou a Universidade Aberta nasceu… e porque não vamos deixar de sonhar a Universidade Aberta crescerá e chegará longe, fazendo outros como eu sonhar num futuro melhor.
Já dizia Fernando Pessoa Deus quer, o homem sonha, a obra nasce…
Muito obrigado a todos.
Bem-hajam! Sucessos Magnífico Reitor!...
Um enorme abraço,
Cristina Jesus Silva
Presidente da Associação Académica da UAb





Mais notícias...





Ver Newsletter


 © Universidade Aberta 2008    Otimizado para: Resolução 1024x768 / Internet Explorer 7 / Firefox 3